"Aquilo que não nos destrói, fortalece-nos"
Friedrich Nietzsche

22.7.10

O melhor para mim ou para ela?



Hoje fiquei desiludida comigo. Na localidade onde trabalho, há um lar de idosos. Nesse lar há uma senhora da minha aldeia, a quem eu faço visitas. Não são muitas e são curtas, pois aproveito parte da hora de almoço. Há algum tempo, notava que ela se repetia muito, por vezes trocava nomes e parentescos, pensei que fosse da idade, entretanto foi ao médico, o qual depois de alguns exames disse que o cérebro dela estava esgotado.
Hoje quando cheguei, reconheceu-me logo, não lembrava o nome do meu pai e da minha mãe, mas sabia perfeitamente onde moram, chamou-me pelo nome da minha mana, mas já é normal, como ela é mais velha e tem o nome de uma das minhas avós, talvez seja mais fácil não esquecer, confesso que nunca me importei muito.
Enquanto estive com ela notei que as conversas andavam em circulo, e se no inicio correu bem no final já confundia tudo, quanto mais pessoas “metia-mos” ao barulho pior, e eu feita parva deixei fluir a conversa, não a corrigi, fiz de conta que tudo o que dizia estava correcto, na altura achei que era o melhor para não a cansar, para não se sentir ”mal”, pois ela às vezes diz, já estou tonta, já troco tudo, já não digo coisa com coisa.
Mas será que foi realmente a melhor atitude? Ela dificilmente se vai aperceber da situação, mas ainda assim, talvez não tenha sido correcta com ela.

9 comentários:

Olga disse...

Foste do mais correcto que conheço. Fizeste-lhe companhia, não a corrigis-te, não a obrigas-te a algo que o cerébro já não consegue atingir. Por vezes só a companhia já é muito. Beijinhos.

Mimi La Rose disse...

eu faria o mesmo.

A tua companhia é uma mais valia e foste correcta...

Deviam haver mais pessoas com a tua bondade!

O mundo era bem mais bonito

<3

Poetic GIRL disse...

No teu lugar teria feito o mesmo. Não a estavas a prejudicar, neste momento a tua companhia só lhe faz bem, um gesto muito nobre da tua parte. Se a continuasses a corrigir ela ia ficar mais nervosa e triste! Às vezes uma omissão para os outros não sofrer naão faz mal nenhum... bjs

Olhos Dourados disse...

EU faria o mesmo... As minhas avós morreram as duas com Alzeihmer, não adiantava corrigir.

Miss Dreams disse...

Tendo em conta que corrigi-la não ia contribuir em nada para as sua melhora, fizeste o melhor que podias ter feito!

Rita G. disse...

Acho que fizeste bem, senão provavelmente ainda a ias deixar mais confusa e triste. Limita-te a ouvi-la, a dar-lhe mimos, é isso o melhor para ela:) bj!

aa disse...

Porque achas que deverias contrariar o que a senhora dizia??? Não sou psicóloga e não sei o que eles dizem acerca disso... mas, estando tu apenas a fazer uma visita e verificando que ela troca e confunde bastante as coisas e pessoas, porquê dizer-lhe que não é assim??? Para ela ficar ainda mais com a idéia que o seu cérebro já não está 'bom'? Acho que isso só iria piorar...
A tua visita/presença é o melhor para ela e como vejo que gostas de o fazer, também é o melhor para ti...
Beijinhos,
AA

Catarina Santos disse...

Fos-te completamente correcta, fazeria o mesmo.
Se estivesses constantemente a corrigir-la ia-se sentir mal e velha.

Louise disse...

Acho que o mais correcto é ela ter alguma serenidade agora.
De que vale estares a confundi-la ou baralhá-la ainda mais?

Eu acredito que sim... que foi a atitude correcta :)