"Aquilo que não nos destrói, fortalece-nos"
Friedrich Nietzsche

29.3.10

Vinhos didácticos, sim não se riam também existem

Vinhos didácticos, são aqueles que nos ajudam a compreender os vinhos mais complexos.
Os vinhos tintos grande parte das vezes são mais “difíceis” de beber, por não serem tão aromáticos [os brancos apresentam aromas mais perceptíveis], por terem mais álcool, por serem mais complexos [tornando-os mais interessantes].
Por norma os vinhos didácticos são vinhos mono casta, são feitos de uvas de uma só casta, a ideia é conseguir que aquele vinho consiga mostrar todo o exponencial da respectiva casta, e ajudar os apreciadores a memorizar os aromas.
Temos o caso da Touriga Nacional, uma das melhores senão a melhor casta do mundo, apresenta-nos um aroma a violetas tão intenso que pode tornar-se enjoativo, Cabernet Sauvignom aroma a pimentos,
O hábito faz o monge, muitas vezes temos de educar o palato a determinados “paladares” e o nariz a memorizar “cheiros”, há também alguns pontos que embora pertinentes podem ajudar como por ex. a temperatura a que é servido pode “arruinar” completamente um vinho, o tipo de refeição mais ou menos pesada.

5 comentários:

izzie disse...

Enóloga?!

Eu cá sou mais adepta de verdes e rosés. Frescos, doces e borbulhantes.

Beijinho,

Olhos Dourados disse...

Não gosto de vinho.

Olga disse...

Não gosto de vinho, mas adoro champanhe. O meu marido é que gosta muito dessa área, ele trabalha nas adegas (tratamento das águas), e gosta muito de falar com os produtores e os enólogos. Tu sabes mesmo do assunto. Parabéns.

Just Me...S disse...

Detesto qualquer tipo de vinho arghhhh

Beijoca doce

Pinkk Candy disse...

Ah, foi este o post que querias que lesse?
Muito obrigada, agora aconselha-me lá aí uns nomes de uns vinhos bons, para eu provar :-)