"Aquilo que não nos destrói, fortalece-nos"
Friedrich Nietzsche

2.3.10

Dedicatória#2

Até podia passar a ser uma rubrica, mas não vai passar, não gosto das coisas por obrigação.
Este post é inteirinho para as pessoas que circulam no IPO, quer sejam doentes, acompanhantes, “visitas”, voluntários, enfermeiros, médicos, auxiliares, bombeiros, porteiros, seguranças, ou seja todos os que de alguma forma andam por lá, podia abrir excepções, mas prefiro pensar que todos temos dias maus e que foi o caso.
A semana passada entrei pela primeira vez num IPO, IPO Francisco Gentil, no Porto, e não consegui ficar alheia. Já tive contacto com pessoas com a doença, mas nunca tinha lá entrado. Em cada corredor havia marcas físicas, havia olhares tristes, vi conformação, não vi revolta a não ser a minha, vi olhares carinhosos, vi colo, conforto. Apesar de tudo vi serenidade, tranquilidade, paz, silêncio [não sendo bom, também é bom].
Já vi muitas pessoas renascer, outras infelizmente não, a vida prega-nos partidas para as quais nunca estamos preparados, vamos sobrevivendo, tornando-nos mais fortes, mais duros, mais insensíveis talvez.
Sinto um nó apertado ao escrever este texto, mas desejo muita coragem para todos os que tem de fazer daquela instituição uma casa, um local para trabalhar, um lugar com visitas regulares, um abraço, ainda que virtual é muito sentido.

11 comentários:

Kika disse...

Admiro muito a coragem dessas pessoas, e reforço o abraço. Para quem lá está, doente. E para quem lá está em trabalho ou voluntariado!

Olhos Dourados disse...

Não deve ser fácil trabalhar num lugar assim.

S* disse...

É demasiado doloroso... :')

Pepper disse...

:(

Teclas cor de Menta disse...

Ahaha!, não levo nada a mal :) Até me sinto lisonjeada :)
E ficaram bem pintadas. Qq dia estás mega pro ;)*

Just Me...S disse...

Uma GRANDE dedicatoria amiga!!!! LINDA!!!!

Doce beijo

Patty disse...

Acho que estas pessoas merecem esta dedicatória e muito mais.
Bjocas
Patty

continuando assim... disse...

convite para a seguir a história de Alice
lá no ...continuando assim...


bj
Teresa

mjf disse...

Olá!
Em qualquer IPO ou outros locais onde se tratem doentes oncologicos é uma verdadeira corrida contra a morte:=((
Doloroso para todos os profissionais de saude, doentes, familiares e quem os ajuda no voluntariado!!!

Beijocas

Olga disse...

Já tive contacto com pessoas que viveram de perto essa realidade, o teu texto mostrou-nos bem os vários sentimentos contraditórios ali existentes e as várias relaidades: doentes, acompanhantes, profisionais de saúde e voluntários. excelente homenagem. Parabéns.

aa disse...

Muito bonita esta tua dedicatória... para toda a gente que trabalha e colabora com doentes oncológicos... onde há um grande sofrimento da parte do doente e de toda a sua família...
São locais que nos 'incomodam'... principalmente, quando não estamos habituados/as a frequentá-los...