"Aquilo que não nos destrói, fortalece-nos"
Friedrich Nietzsche

31.3.09

Ser Poeta

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os Homens, morder como quem beija
É ser mendigo e dar com quem seja
Rei do reino de aquém e além dor

É ter mil desejos e esplendor
É não saber sequer que se deseja
É ter cá dentro um astro que flameja
É ter garras e asas de condor

É ter fome, é ter sede de infinito
Poe elmo, as manhãs de oiro e de cetim
É condensar o mundo num só grito

E é amar-te assim perdidamente
É seres alma, e sangue e vida em mim
E dize-lo cantando a toda a gente.

(poema de Florbela Espanca)

10 comentários:

Andreia do Flautim disse...

Bonito, e gosto quando é cantado.

*B* disse...

Escolha perfeita!

Adoro Florbela...

carlinha disse...

Eu adoro este poema!!!!!!
E então cantado, é lindo! :)

Zé Al disse...

Sonetos de Florbela Espanca são maravilhosos , só é pena que a sua vida não tenha sido assim tão maravilhosa!

Elle disse...

acreditas que ainda há pouco tive a ler e a ouvir este poema cantado plo grande luis represas?
bjo

Burzum disse...

Adoro esse bonito e famoso poema..

**

Just Me...S disse...

Confesso que gosto do poema, mas faz-me sempre lembrar a musica e quem o canta que....detesto :(((

Sorry miga.

Doce beijo

Sanxeri disse...

Adoro Florbela Espanca. Devoro os seus poemas. :D

@me@@@ disse...

lindo, e na voz de Luís Reprezas é um "must"


:-)

Monikyta disse...

gt mt do poema
da canção
da poetisa ;)

bj meu