"Aquilo que não nos destrói, fortalece-nos"
Friedrich Nietzsche

22.12.11

Mãe, a super mulher

Entre o levantar e o entregar a menina na creche há toda uma rotina que me obriga a saltar da cama cedo, se por mero acaso demoro uns segundos  a saltar da cama, já me complica o horário para chegar sem atrasos ao estaminé. Detesto chegar atrasada.

Levantar da cama(o que custa com este tempo), banho,  pequeno-almoço, dar mama, mudar fralda, vestir filha (quanto maior, mais complicado, muito movimento, e muita roupa nesta época), vestir e aprontar mãe, colocar na babycok e no carro, colocar saco dela no carro e as minhas tralhas, ufa passou muito tempo, olho para o relógio e fico contente quando vejo que ainda estamos dentro do timing.

Ainda temos a ajuda do pai que prepara o pequeno almoço, e faz as camas, aquelas mães que tem de fazer tudo sozinhas tem a minha admiração e dou-lhe também os parabéns pois não é fácil.

Há noite fica pronto o saco dela, a nossa roupa(minha e dela), dá muito jeito, para quem não tem o hábito, custa os primeiros dias, mas depois é fácil,  e assim não nos esquecemos de nada.

5 comentários:

Rita G. disse...

Ufa, é mesmo uma canseira, mas é como dizes, com o tempo habituamo-nos:) bj!

Nokas disse...

Fiquei cansada só de ler!! Não deve ser fácil!

Saltos Altos Vermelhos disse...

sabes o que costumo dizer? Que depois de ser mãe consigo fazer coisas que nunca imaginei :) em tempo record!

Turista disse...

Querida Anf, pelo que descreves, as mães para mim, serão sempre heroínas! :))

Hugo de Macedo disse...

Eu neste momento sei bem o que isso é...!

:)