"Aquilo que não nos destrói, fortalece-nos"
Friedrich Nietzsche

12.6.09

BATERIA CARREGADA

Hoje deve andar muita gente no passeio e pouca gente a trabalhar, eu estou incluida na 2º grupo.
Souberam muito bem os dois feriados, deu para carregar baterias, é que a minha carrega com muita facilidade, mas descarrega ainda mais facilmente, não era nada mau se todas as semanas tivessem pelo menos um dia feriados, solucionava o problema da minha bateria, será que está viciada?!?

9 comentários:

Zé Al disse...

Vamos a pôr as baterias em ordem,pois devem ter um problema, dois dias dá para carregar e bem as baterias!Uma solução é trocar por um acumulador de energia assim quanto mais trabalha mais vontade tem!!!!!!!!!!!!!

entremares disse...

Cheia de preguiça, esticou os braços.
De olhos fechados, mal sentia o corpo, ainda trôpega de sono.
Apetecia-lhe voltar a mergulhar nas águas transparentes do recife, abandonar-se ao sol sobre as areias brancas, voltar a adormecer à sombra dos coqueiros.
Um torpôr agradável assaltou-lhe o corpo e ela permaneceu imóvel, de olhos fechados, em êxtase.
Podia ouvir o mar.
Ondas mansas desfaziam-se em espuma na areia. A praia, vazia, era só uma imensa extensão branca e verde, pejada aqui e ali de rochas solitárias, ainda a escorrer água da maré alta.
Mesmo de olhos fechados, era fácil imaginar o azul forte do céu, as velas brancas dos veleiros sulcando as águas, as cabanas de madeira pendendo sobre a lagoa cor de esmeralda.
E o silêncio... ah, o silêncio...
Aquela ausência aboluta de tempo, de horários, de ruídos de fundo, de jornais, de televisão...até a ausência de sapatos... só a música de fundo do bater das ondas na praia, o abanar da copa dos coqueiros e das palmeiras.
Deixou-se ficar imóvel, quase ausente do corpo, imersa em sensações de paz, de uma profunda paz que lhe tomava de assalto o espírito, como se até os próprios pensamentos surgissem agora em câmara lenta, a um ritmo quase tão lento como o próprio respirar...
Pelo menos uma vez na vida, todos deveriam poder experimentar aquela sensação de paz quase absoluta, retemperadora de forças.
O paraíso, a existir, deveria ser algo de muito semelhante...

Sentiu que a abanavam, com extremo cuidado.
Abriu os olhos.

- Mãe... – tenho fome... vem fazer-me os cereais...
- Hum... o quê?
- Tenho fome... vem dar-me de lanchar...
Esfregou os olhos, ainda estremunhada. Pela janela, conseguia distinguir perfeitamente o céu cinzento e aquelas gotas irritantes, cinzentas, de uma chuva que, apesar de maio, teimava em persistir, estragando o que prometia ter sido um óptimo fim-de-semana.
- Onde está o pai ?
- Está agarrado ao computador... tenho fome...

Virou-se para o lado no sofá.
- Vai dizer ao pai para te dar de lanchar... eu ainda vou à praia dar mais um mergulho...
- Um mergulho ? Mãe ?

Ela já deixara de o ouvir.
De olhos fechados, ouvia novamente o mar a chamá-la.
O mar, o sol, e uma praia de areia branca...


( Alguém falou em carregar baterias ? )

Verdinha disse...

lool, acho melhor comprares outra que essa parece me mais p la do k p ca :P

Just Me...S disse...

Haaaa eu há muito tempo que defendo que deveria ser decretado 3 dias de fim de semana e 4 de trabalho lol

Beijoca doce

PS: vai ao meu cantinho, alguém te agradece algo...

mjf disse...

Olá!
Concordo contigo:=)
Um feriado por semana...no minimo:=)
eheheh

Bejocas

Gaspar de Jesus disse...

OLá ANA
Muito obrigado pela amável visita ao Arte Fotográfica, é com enorme prazer que recebo uma transmontana.
Gosto deste seu cantinho de partilha.
Terei o maior gosto em lhe enviar a fotografia do PORTO, para isso preciso que me faculte o seu endereço elctrónico.
Pode enviar para: gasparjes@gmail.com
M/cumprimentos
Gaspar de Jesus

Just Me...S disse...

Selinho no meu canto...

Beijoca

Olhos Dourados disse...

Se calhar está viciada!

Monikyta disse...

eu assino a petição da just s: 3 dias de fds e 4 de trab :P

bj meu