"Aquilo que não nos destrói, fortalece-nos"
Friedrich Nietzsche

9.6.11

Não é justo

O passado devia ser passado, e mais nada.

As recordações deviam ficar só as que eu bem entendesse.

Mas não, é tudo ao contrário, o passado por vezes torna-se presente e complica o futuro.

As lembranças, memórias por vezes tornam-se perigosas, principalmente as mal resolvidas.


Quero ficar sozinha no canto da sala, e esperar que assim como apareceram desapareçam, que se escondam por mais algum tempo, já que esquecer é apenas um verbo.

5 comentários:

Dina disse...

Espero que estejas bem, e que tudo se resolva...

izzie disse...

Força amiga!

Estou deste lado.

Beijinho,

Rita G. disse...

que essas lembranças não te causem transtornos...força,ok? bj

O meu pensamento viaja disse...

Sabes que os peixes além de não falarem, também não têm memória? Guardam as recordações por 3 segundos, passados os quais tudo é espanto e novidade.
Também não falam e quando abrem a boca, já se sabe...pela boca, morre o peixe.
Agora interroga-te, vê-te peixe ... querias?
Duvido.
A memória é uma chatice, mas também é um tesouro.
Pensa, quantas vezes, nesse sistema de replay não reviveste momentos únicos, que graças ao truque da memória deixaram de o ser.
É que não há almoços grátis. Se não existe amnésia selectiva, existem memórias suculentas.
Beijos,
Nina

P.S. E apesar da memória, tudo passa!

Dré disse...

Há memorias menos boas que vêm ao de cima involuntariamente. Transmitem-nos sentimentos e podem irritar-nos ou por-nos em baixo. Sempre que tenho uma sento-me e reflicto que o passado é passado, e se essa memória não me afectar o futuro lembro-me que a vida é curta de mais para vivermos maus momentos. Os bons são para aproveitar, os maus quanto muito servem para aprendermos ou nos adaptarmos ao mundo em que vivemos. Faz parte da vida.
Bjns :)